O mercado consumidor cada vez mais adere à opção de pagamento com cartões, principalmente devido às facilidades e vantagens oferecidas a ele. Além dos cartões bancários, há vários outros tipos de cartões que o comércio aceita, inclusive fazendo intercâmbio entre comércios e serviços. Há, por exemplo, empresas que vendem roupas para o varejo e possuem cartões exclusivos para a compra em sua loja. E esses cartões podem ser aceitos por uma certa rede de farmácias, por exemplo. Para o consumidor isso é ótimo, mas e para as empresas?

Aceitar cartões de crédito e débito certamente trará mais clientes e oportunidades de negócio para as empresas. No entanto, essa opção demanda maior esforço e maior complexidade na análise dos resultados financeiros da organização. Isso porque optar por oferecer esta forma de pagamento acaba acarretando em taxas e custos para o empreendedor, o que o fará adotar uma nova estratégia de negócios.

A complexidade do processo faz com que algumas empresas precisem contratar um profissional específico para isso, o conciliador. Essa complexidade começa pela grande quantidade de opções de bandeira dos cartões, pois cada uma possui regras e taxas específicas. Quer saber como diminuir os impactos para a sua empresa por oferecer o pagamento por cartões? Confira.

 

O que faz o conciliador?

O conciliador é o profissional responsável por reunir todos os dados gerados pelas vendas feitas com cartão. Isso significa que ele verifica integridade das informações entre as declarações dos extratos das operadoras de cartão de crédito, débito e ou outros relatórios associados a registros financeiros da empresa.

Este é um passo necessário para assegurar que as entradas financeiras das operadoras de cartão de crédito, débito estejam de acordo com as taxas acordadas, número de parcelas e se estas estão sendo depositadas no prazo. Caso aja discrepâncias, a empresa precisa tomar medidas corretivas necessárias.

 

Qual é o processo de reconciliação de cartão de crédito?

O processo de reconciliação de cartão de crédito é realizado quando as declarações são inicialmente recebidas ou depois do encerramento de um período financeiro.

Caso seja encontrada a discrepância, deve-se primeiro identificar o problema para depois realizar uma ação corretiva. Isso porque as transações com cartão de crédito e débito estão sujeitas a muitas regras específicas, taxas etc, e quando a empresa opta por oferecer diversas bandeiras, aumenta a necessidade de gerenciar essas compras.

Por exemplo, em uma negociação com uma operadora de cartão de crédito, é possível que o empresário tenha negociado um desconto nas taxas por um determinado período. Quando este período encerra, o desconto termina e o financeiro pode ter um saldo abaixo do esperado. Neste caso, o ideal é adaptar os preços ao lucro, ou ainda tomar outras medidas corretivas.

 

Como um software pode ajudar a realizar esta operação de conciliação?

Os softwares automatizam todo o processo de conciliação, agilizando este trabalho, gerando maior confiabilidade nos dados, diminuindo erros, os custos e aumentando a segurança.

Isso porque um software é capaz de importar os dados e calcular automaticamente as pendências e incoerências. Ele acelera extraordinariamente este processo, calculando automaticamente, por exemplo, estornos e falhas de operação. Esta carga imensa de checagem manual e falível é removida da equipe, o que gera ainda mais qualidade e assertividade no trabalho.

E você, já faz uso de um software para automatizar o processo de conciliação dos cartões? Ficou curioso? Entre em contato e cadastre-se para receber mais informações sobre o assunto.

 

Clique aqui e fale com a gente